Célio Lupparelli pede ao Ministério Público solução para biblioteca abandonada

O vereador Prof. Célio Lupparelli entrou com uma representação no Ministério Público para que notifique a prefeitura a tomar providências para mudar o prédio da biblioteca municipal de Jacarepaguá, na Praça Seca. A biblioteca tem obras que vão desde a biografia de Pixinguinha até os livros mais modernos, como “O Lobo atrás do Espelho”, de Fausto Wolfe, e “Revolta”, de Márcio Souza. As infiltrações já destruíram algumas obras em Braille.

Cidadão Benemérito

O vereador Prof. Célio Lupparelli entregou, na Câmara, o Título de Cidadão Benemérito do Município do Rio ao diplomata e idealizador da Trilha Transcarioca, Pedro de Castro da Cunha e Menezes. A trilha liga o Morro da Urca à Barra de Guaratiba.

Eleição dos conselheiros tutelares é suspensa por tempo indeterminado

Comissão eleitoral é dissolvida

A eleição dos conselheiros tutelares, que havia sido adiada para o dia 6 de dezembro, foi suspensa por tempo indeterminado. Foi o que determinou a deliberação 1153/15 do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente nesta segunda. O mandato dos atuais conselheiros foi prorrogado por tempo indeterminado. A atual comissão eleitoral foi dissolvida.

Para o vereador Prof. Célio Lupparelli, que recentemente tomou posse como vice-presidente do Conselho, essa foi a melhor solução diante das irregularidades absurdas detectadas em todo o processo eleitoral, como aceitação de documentos, entre eles declaração de prestação de trabalho com crianças, fora do prazo e a contratação de empresas sem licitação. “Vamos lutar para que o TRE participe do processo de votação e apuração. Caso contrário, o risco de fraude será muito grande.”, disse o vereador. Segundo Lupparelli, a nova comissão eleitoral vai acertar as falhas e investigar se as declarações de trabalho prestado a crianças, dos candidatos a conselheiros, são falsas ou não. “Critiquei tanto esse processo eleitoral que não poderia deixar de aceitar o convite para a vice-presidência”, afirmou o vereador.

De olho em quem mata aula

Alunos do município que gostam de matar aula e aprontar sem o conhecimento dos pais poderão ser melhor identificados. Foi aprovado em segunda discussão o Projeto 1525/15, do vereador Prof. Célio Lupparelli, que torna obrigatória a inscrição do nome da escola no uniforme.

        A inscrição ficará a cargo dos pais. Foi a saída que o vereador encontrou para evitar que o projeto fosse considerado inconstitucional, já que não pode gerar despesa para a prefeitura além do orçamento. Assim, o projeto deve ser sancionado, em breve, pelo prefeito Eduardo Paes.

Vereador cria Frente em prol da Mega trilha Transcarioca

Foi instalada, na Câmara, a Frente Parlamentar em prol da Criação da Área de Proteção Ambiental da Trilha Transcarioca. Proposta pelo vereador Prof. Célio Lupparelli, a Frente vai buscar junto à prefeitura, com o apoio de muitos ambientalistas, que seja criada uma área de proteção na trilha que ocupa quase 200 Km, ligando o Morro da Urca à Barra de Guaratiba, e que carece de infraestrutura. Com isso, a segurança e a sinalização irão melhorar no local.

Em tempo: o nome Transcarioca se deve ao fato de a trilha cortar o Rio de ponta à ponta.

Contra o caos no trânsito

Para amenizar o caótico trânsito da cidade, o vereador Prof. Célio Lupparelli apresentou projeto de lei que proíbe interrupção do tráfego nas vias em função de obras públicas ou privadas entre as 7h e 9h e entre as 18he 20h. A exceção é para obras emergenciais. ”Os engarrafamentos constantes geram demissões, repreensões de patrões que não querem compreender atrasos, perda de dinheiro e oportunidades”, justificou Lupparelli.

Não ao consumo fantasma

Aquelas contas emitidas nos restaurantes sem especificação dos itens, só com os valores, poderão ser proibidas. É o que prevê projeto apresentado pelo vereador Prof. Célio Lupparelli que obriga transparência  no consumo. A ideia é evitar que o consumidor pague pelo que não consumiu.

Salve a água

As escolas do município serão obrigadas a promover palestras sobre o uso racional e sustentável da água para alunos do primeiro ao nono ano. É o que prevê a Lei 6043/15, de autoria do vereador Prof. Célio Lupparelli (DEM), sancionada pelo Prefeito Eduardo Paes.

Pela participação da população nas discussões de todos os orçamentos

Algumas Secretarias não levaram o orçamento para a discussão com os vereadores e a população antes da votação. Foi o caso da de Meio Ambiente e da Pessoa com Deficiência. Para impedir a prática, o vereador Prof. Célio Lupparelli apresentou um projeto de emenda à Lei Orgânica que garante a participação da Câmara e da população no Projeto de Lei Orçamentária de todas as Secretarias.

Célio Lupparelli pede ao Ministério Público solução para biblioteca abandonada

O vereador Prof. Célio Lupparelli entrou com uma representação no Ministério Público para que notifique a prefeitura a tomar providências para mudar o prédio da biblioteca municipal de Jacarepaguá, na Praça Seca. A biblioteca tem obras que vão desde a biografia de Pixinguinha até os livros mais modernos, como “O Lobo atrás do Espelho”, de Fausto Wolfe, e “Revolta”, de Márcio Souza. As infiltrações já destruíram algumas obras em Braille.

Eleição dos conselheiros tutelares é suspensa por tempo indeterminado

Comissão eleitoral é dissolvida

A eleição dos conselheiros tutelares, que havia sido adiada para o dia 6 de dezembro, foi suspensa por tempo indeterminado. Foi o que determinou a deliberação 1153/15 do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente nesta segunda. O mandato dos atuais conselheiros foi prorrogado por tempo indeterminado. A atual comissão eleitoral foi dissolvida.

Para o vereador Prof. Célio Lupparelli, que recentemente tomou posse como vice-presidente do Conselho, essa foi a melhor solução diante das irregularidades absurdas detectadas em todo o processo eleitoral, como aceitação de documentos, entre eles declaração de prestação de trabalho com crianças, fora do prazo e a contratação de empresas sem licitação. “Vamos lutar para que o TRE participe do processo de votação e apuração. Caso contrário, o risco de fraude será muito grande.”, disse o vereador. Segundo Lupparelli, a nova comissão eleitoral vai acertar as falhas e investigar se as declarações de trabalho prestado a crianças, dos candidatos a conselheiros, são falsas ou não. “Critiquei tanto esse processo eleitoral que não poderia deixar de aceitar o convite para a vice-presidência”, afirmou o vereador.

De olho em quem mata aula

Alunos do município que gostam de matar aula e aprontar sem o conhecimento dos pais poderão ser melhor identificados. Foi aprovado em segunda discussão o Projeto 1525/15, do vereador Prof. Célio Lupparelli, que torna obrigatória a inscrição do nome da escola no uniforme.

        A inscrição ficará a cargo dos pais. Foi a saída que o vereador encontrou para evitar que o projeto fosse considerado inconstitucional, já que não pode gerar despesa para a prefeitura além do orçamento. Assim, o projeto deve ser sancionado, em breve, pelo prefeito Eduardo Paes.

Vereador cria Frente em prol da Mega trilha Transcarioca

Foi instalada, na Câmara, a Frente Parlamentar em prol da Criação da Área de Proteção Ambiental da Trilha Transcarioca. Proposta pelo vereador Prof. Célio Lupparelli, a Frente vai buscar junto à prefeitura, com o apoio de muitos ambientalistas, que seja criada uma área de proteção na trilha que ocupa quase 200 Km, ligando o Morro da Urca à Barra de Guaratiba, e que carece de infraestrutura. Com isso, a segurança e a sinalização irão melhorar no local.

Em tempo: o nome Transcarioca se deve ao fato de a trilha cortar o Rio de ponta à ponta.

Cidadão Benemérito

O vereador Prof. Célio Lupparelli entregou, na Câmara, o Título de Cidadão Benemérito do Município do Rio ao diplomata e idealizador da Trilha Transcarioca, Pedro de Castro da Cunha e Menezes. A trilha liga o Morro da Urca à Barra de Guaratiba.

Contra o caos no trânsito

Para amenizar o caótico trânsito da cidade, o vereador Prof. Célio Lupparelli apresentou projeto de lei que proíbe interrupção do tráfego nas vias em função de obras públicas ou privadas entre as 7h e 9h e entre as 18he 20h. A exceção é para obras emergenciais. ”Os engarrafamentos constantes geram demissões, repreensões de patrões que não querem compreender atrasos, perda de dinheiro e oportunidades”, justificou Lupparelli.